sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Daniel Groove :: clipe Você Sabe Muito Bem o Que me Resta



Videoclipe de Daniel Groove
Concepção, Direção e Fotografia: Gustavo Vargas
Direção de Produção: Liliane Pereira
Câmera: Olivia Seiko
Chefe de Elétrica: Rafael Avancini
Edição: Felipe Lafé
Finalização: Aline Biz
Maquiagem: Aline Souza
Elenco: Elisa Porto e Daniel Groove

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

João Bernardo :: clipe Se eu fosse o Tom Jobim



Direção, Câmera, Fotografia e Edição: José Roberto Mesquita
Atriz: Viviane Oliveira
Assistente de Direção e Produção: João Carvalho
Figurino e Produção Executiva: Lívia Fialho
Música de João Bernardo
Álbum Meu coração não para de me bater

Metá Metá :: show Metal Metal completo



Show realizado no dia 15/12/2013 no Festival Batuque, no SESC Santo André.

Otto :: Disritmia (Martinho da Vila)

Precisamos confessar uma coisa: estamos loucos para fazer esse show aqui no Circo!




sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Fisgado pela Passagem :: Uma resenha do show da Teresa Cristina

Eu tinha um outro compromisso na cidade. Mas quando o sol amenizou ou pelo menos ferveu menos no corpo fui com o Rafael Vargens, outro funcionário do Circo, fazer a troca dos biombos da programação. Aqueles que recebem vocês na entrada do Circo. Nesse momento Teresa Cristina estava passando o som. Interessante como, além de belas, ainda soam muito atuais certas poesias de Candeia. Ou seja, quem se ferrou foi o Rafa e o Leonardo Senna, que trabalha no palco do Circo que trocaram os biombos todos, enquanto eu fiquei ali em pé chapado (e balançando) no som da Teresa Cristina e banda. Nisso os integrantes da Orquestra Voadora estavam chegando para dar a oficina entre a passagem de som e a abertura da casa, e a Maria Rosa, filha pequena do trombonista Marcio Sobrosa, começou a brincar e correr na frente do palco. Aquelas músicas de Candeia cantadas com o maior carinho junto à imagem de Maria Rosa brincando, confirmaram de alguma forma o Circo receberia uma noite especial.


E recebeu. Mandei às favas o outro compromisso. Meia noite Teresa Cristina subiu ao palco cantando Nova Escola. Era a primeira de muitas belas canções de Candeia com as quais o público seria brindado ao longo da apresentação. Ao longo da apresentação, a cantora mostrou diversas fases e facetas do compositor, lembrou suas atitudes políticas e ações de resistência cultural, e citou outros parceiros dele como Casquinha, Aldeci e Wilson Moreira. Luz da Inspiração, Doce Melodia, Meu Trabalho/ o Invocado/ Dia a Dia, Camafeu (linda, linda), Sinhá Dona da Casa, Preciso me encontrar foram algumas das canções apresentadas.
Filmei um trecho do show, mas assim que apertei o rec no aparelho celular uma pessoa me cumprimentou. Então o início do vídeo ficou mais sambado que o normal. Depois dos vinte segundos fica mais tranquilo:



Por fim, Teresa Cristina diz que revisitar a obra de Candeia a fez uma pessoa melhor. E é provável que todos saiam sendo pessoas melhores após esse mergulho delicioso no universo de Candeia!

The Flaming Lips e Sean Lennon levando uma dos Beatles!

A parada rolou no David Letterman Show e a motivação foi celebrar os cinquenta anos da apresentação dos Beatles nos EUA.

Information Society e Festa Ploc no segundo lote!


A Festa Ploc comemora dez anos de muitas noitadas divertidas em grande estilo. Para celebrar tão importante data, a produção traz pela primeira vez para o palco do Circo Voador, o grupo internacional Information Society, na sexta, 14 de março, a partir das 22h.
Information Society caiu nas graças do público brasileiro no final dos anos 80 com a balada Repetition. Mas foi com o álbum Hack, com os hits Think e How Long, que o grupo estourou de vez nas terras Tupiniquins, sendo um dos destaques do festival Rock in Rio 2, realizado em 1991. Em 1993, lançam o álbum Peace & Love, Inc, que também tem boa circulação por cá. Outra coisa que chamada a atenção nas performances dos caras era o vocalista Kurt Harland Larson que subia ao palco de patins.
Após uma pausa que durou alguns anos, o Information Society retomou suas atividades e fez impressionantes shows por aqui. Este promete não ser diferente, até pelo fato de acontecer numa festa animada como a Ploc comemorando uma década de atividades.
Nos vemos lá! Não esqueça os patins!

Ingressos Lote2:
R$ 70,00 (meia-entrada para estudantes, menores de 21 anos e idosos)
R$ 70,00 (ingresso promocional válido com 1 kg de alimento ou e-flyer)
R$ 70,00 (Clube Sou + Rio)
R$ 140,00





LIKE A ROCK :: Resenha do show do Bad Religion no Circo!


GERAÇÕES. Um show de GERAÇÕES. Essa é a primeira coisa que me vem a cabeça agora que sento, podre e suado, para escrever sobre o show do Bad Religion no Circo. Terceiro da minha vida.

Lembro bem  da primeira vez que escutei Bad Religion, em 91... Estava indo dar um rolê de skate com o Lampião e tomamos uma fita da Alessandra, que na verdade era do Patrick da Sul (quem é skatista da década de 90 sabe bem quem é esse monstro sangue boníssimo!) e de um lado tinha Bad e do outro Operation Ivy - época daquela camisa da Homey, lembram?!

Aos primeiros acordes de OPERATION RESCUE soube que ouviria BR para sempre! Na sequência vem o hoje clássico 21 Century Digital Boy e outras… SKATE SKATE SKAAAATE era o que eu ouvia ao ser impregnado pelos riffs e melodia sempre muito autorais de Greg Graffin e Brett Gurewitz. Depois disso, as sessions renderam muito mais!

Blz, vamos continuar. Em 1996 fui presenteado com um  combo punk que nunca imaginei….  SEX PISTOLS E BAD RELIGION! HELL YEAH!!! Diferente da mamata que hoje é ter um show foda no Brasil, naquela época nem com m
acumba forte as bandas vinham! Por isso assistir Sex Pistols e Bad Religion, com direito a Cypress Hill e Silverchair foi algo ANORMAL... a fome era tanta que o pogo foi selvagem!! heheheheh

Já em 99, o Bad Religion já tinha se consagrado no cenário skate-surf brasileiro, com dezenas de musicas em programas de tv e em vídeos, fortalecendo ainda mais sua áurea underground no período pre-banda larga, onde quem ouvia era QUEM REALMENTE GOSTAVA,  não posers ou cocotas punks, que “a d o r a m” camisa do Ramones, mas nunca ouviram… vai entender. Enfim show foda, com direito a levar meu filho ainda na pança!!

05/02/2014… chamado para resenhar sobre o show, de cara fico puto com algumas atitudes da banda, como não poder fotografar depois da terceira musica, ou não ter acesso a eles pois ‘eles não estão a fim de papo’... bolei. “QUE MERDA É ESSA? POP PUNK?”, pensei... Foda-se, vou dar um rolê pelo Circo e ver qual vai ser do pogo. Essa estratégia de mapear o pogo é fundamental para não me fuder na hora das cotoveladas, principalmente neste que venho com minha esposa e filho, hoje com 14 anos... ia ficar feio terminar o show com um olho roxo na frente do meu filho Thor né?!!

De cara encontro velhos e sempre presentes amigos do universo hardcore: Skins, RudeBoys, Skatistas, Surfers, Lutadores… além de BOYZINS E PERIGUETES. Faz parte da nova fauna do Circo né?! Mas ok, ao menos agora os shows tem mais mulher e acalma o ambiente!!

Depois de me juntar com a galera, espero os primeiros acordes a fim de tirar a má impressão dos caras… e putz, QUE CHUTE NA CARA EU TOMEI! QUE SHOW FOOODAAAAA!!! Nunca fui num show do Bad Religion que tocasse clássicos como Skyscraper e You, mesclando com as já famosas FUCK YOU e outras que o álcool me faz esquecer no momento… MAS TOCOU GENERATOR QUE EU LEMBRO!!!



No pogo - à 800º de calor!! -, o excesso de pessoas transformou o centro do Circo em um mar revolto de mosh, empurrões e tentativas de circlepit, aquela roda escrota que os gringos gostam de fazer. TUDO SEMPRE NAQUELE RESPEITO QUE QUEM É HC SABE QUE EXISTE. Tirando uns dois boys que tentaram tirar uma - tadinhos -, o pogo foi foda. Com destaque para um amigo ter perdido tudo da mochila e ter recuperado em menos de 5 minutos… até a carteira com dinheiro!! A primeira coisa que ele me falou foi: ainda bem que não é show de pagode. hahahahah

Enfim, como uma pedrada nos córneos, o Bad Religion destruiu qualquer ranço que senti sobre a atitude pop deles… afinal eles mantiveram a energia no palco mesmo com os cabelos brancos e de alguns erros no som… mas punk não pode ser perfeitinho mesmo!!



O show acabou cedo e ainda deu tempo para curtir o bom som que rolou depois na pista, transformando uma simples quarta feira em uma catarse de energia punk rock…. LIKE A FUCKING ATOM BOMB!!! 


Artur Kjá assina o texto. O bom homem é designer, artista urbano, skatista, entusiasta e sempre, sempre, pilhado!
As fotos são de Felipe Diniz.

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Circo Visita :: Thiago França na Audio Rebel



Picamos a mula, eu e o Ruy Gardnier para a AudioRebel, clássico estúdio e palco de shows no Rio, para conferir a apresentação do Thiago França, integrante do Metá Metá, que mostrou seu projeto Sambanzo contando com ajuda de Benjão na guitarra, Pedro Dantas no baixo, e o incansável Thomas Harres na batera. Fiz esse registro com o celular.

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Mais um trailer de Amazing Spider Man 2

No trailer exibido neste dia 02/01 no Super Bowl, os vilões são o destaque da próxima produção envolvendo o Homem-Aranha, personagem da Marvel Comics. No Brasil, o filme ganhou o título de O Espetacular Homem-Aranha 2: A ameaça de Electro. Confira:

Resenha Tulipa Ruiz e O Terno no Circo Voador

A noite paulistana do Circo Voador começou com o power trio O Terno provando que não é necessário uma big band para fazer barulho. Em pouco mais de 50 minutos, Tim Bernardes (voz e guitarra), Victor Chaves (bateria) e Guilherme d’Almeida (baixo), conseguiram reunir (e empolgar muito) o público inicialmente disperso com seu rock sessentista. No palco, além das músicas do álbum 66 Zé, Assassino Compulsivo, Eu não preciso de ninguém, Enterrei vivo –, o grupo apresentou uma divertidíssima canção feita em parceria com Tom Zé – Papa Francisco perdoa Tom Zé – e ótimos covers de Vinicius de Moraes (Canto de Ossanha) e Gilberto Gil (Aquele abraço). Definitivamente, foi uma bela maneira de começar a noite!

“Que esse calor seja refrescante”
E não demorou muito para a festa continuar. Após um breve intervalo e com o público ainda empolgado pela apresentação d’O Terno, surgiram os primeiros acordes de É, canção que abre Tudo Tanto, segundo trabalho de Tulipa. O público vibrou. Como sempre, a cantora estava muito bem acompanhada por sua banda (que tem seu pai Luiz Chagas e irmão Gustavo Ruiz na formação) e totalmente à vontade no palco do Circo, onde ela já levou esse show nada menos que três vezes. 
Mesclando músicas dos seus dois álbuns – o primeiro é o super elogiado Efêmera –, Tulipa fez a alegria dos fãs que cantaram praticamente todas as faixas a plenos pulmões. Quem esteve presente também pôde ouvir 

Megalomania, a nova música com um refrão chiclete e de fácil absorção no melhor estilo pop-verão-água de coco. O auxílio luxuoso ficou por conta dos backing vocals feito pelos rapazes d’O Terno que se esforçaram no gingado.

Tulipa ainda guardou boas surpresas para a metade do show em diante. Se emocionou com o coro feito pelo público para a bela e sentimental Do Amor e desceu do palco para cantar junto com os fãs o sucesso Efêmera. Para fechar a noite em grande estilo, o bis teve A ordem das árvores e um sensacional coro à capela para Às vezes. Uma noite tudo tanto.

Texto de Renata Reis, jornalista e frequentadora do Circo e de meia dúzia de botequins pé de chinelo.

Irmãos Brothers Band :: 02/02/2014 :: Circo Voador

O dia de Iemanjá no Circo este ano foi na companhia dos Irmãos Brothers Band. Oficinas abriram a programação seguido de um divertido (e competido) campeonato de bambolê. O artista Guga Morales também apresentou breves números antes da banda entrar em palco.

Assista abaixo um trecho da apresentação dos Irmãos Brothers Band no Circo (filmado de um smart phoene, não reparem):

domingo, 2 de fevereiro de 2014

Tulipa Ruiz apresenta música nova no Circo

Tulipa Ruiz aproveitou o show no Circo neste sábado, 01 de fevereiro, para apresentar aos cariocas a canção Megalomania, que contou com a participação dos meninos do trio O Terno na sua execução. O produtor Pedro Montenegro capturou o momento.